Loading...

sábado, 26 de junho de 2010

VIVA O TEATRO OFICINA E A GARRA DE ZÉ CELSO MARTINEZ

Teatro Oficina é tombado pelo Iphan
24 de junho de 2010
Atualizado em 25/06

O diretor Zé Celso no Teatro Oficina. Crédito: Alessandra Perrechil
Depois de anos de espera, o Teatro Oficina, localizado na Rua Jaceguai, no Bixiga, em São Paulo, foi tombamento em votação unânime realizada na última quinta-feira (24/06) pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O acontecimento histórico foi realizado no Paço Imperial, no Rio de Janeiro. Depois de aprovada, a decisão precisa ser homologada pelo Ministro da Cultura Juca Ferreira.

Com projeto arquitetônico assinado pela brasileira Lina Bo Bardi em 1986, o Oficina é um dos mais importantes teatros brasileiros, tendo papel de resistência na época da ditadura militar e de importantes experimentações artísticas. Ao longo de 30 anos de disputas com o Grupo Silvio Santos, dono de grande parte dos imóveis da vizinhança, o espaço havia sido ameaçado de sucumbir – tendo sido comprado pelo Governo do Estado para continuar funcionando -, e de ter seu entorno modificado com a criação de um Shopping Center e um conjunto residencial no local, projetos do dono do SBT. Preocupado que a estrutura do teatro pudesse ser ameaçada por essas construções, o diretor José Celso Martinez Corrêa pediu a Gilberto Gil, Ministro da Cultura em 2003, para providenciar o tombamento.

Com a expectativa se confirmando, o teatro terá preservada sua vegetação e iluminação natural, possibilitados graças a parede envidraçada de 150 m² e a um teto móvel, elementos visuais que interferem intimamente na criação artística e estética do Oficina. Isso porque quando um edifício é tombado, sua vizinhança precisa de aprovação do Iphan para ser modificada, de forma a não interferir no projeto arquitetônico do local tombado.

O Oficina já havia sido tombado em esfera estadual pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) em 1983, mas isso não impediu que os projetos de Silvio Santos continuassem. Com o tombamento, o Oficina tem a esperança de conseguir finalmente realizar o projeto do Teatro de Estádio, também arquitetado por Lina Bo Bardi nos anos 1980. Inclusive, Zé Celso espera que o próprio grupo Silvio Santos possa participar dessa construção

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Reforma da Lei de Direito Autoral

Nesta segunda-feira, dia 14 de Junho, o projeto de reforma da Lei do Direito Autoral entrou em consulta pública. No site www.cultura. gov.br/consultadireitoautoral do Ministério da Cultura, podemos encontrar o texto consolidado, já com as alterações propostas no anteprojeto. Há também uma ferramenta que permite fazer comentários e propostas em cada artigo do texto em consulta.


Se aprovada teremos umas leis de direito do autor mais moderna do mundo, como disse Lawrence Lessig (criador do creative commons) em sua fala na Campus Party Brasil desse ano. É um debate extremamente importante para a produção cultural e como estudantes/produtor es precisamos estar envolvidos. Um dos pontos que vai interessar será o cerco que se pretende fazer ao ECAD, instituição que muitos de nós duvida da seriedade. O Claudio Prado tem uma frase ótima para o ECAD: "Nenhuma instituição que tem 300 advogados pode ser honesta"!


Existe um grupo de articulação para fazer frente e botar pressão para essa reforma sair da melhor maneira possível que é a Rede pela Reforma da Lei do Direito Autoral. Da para acompanhar os trabalhos aqui www.culturadigital. org.br/site/ lda

sábado, 12 de junho de 2010

Lei do Direito Autoral

Não deixe de contribuir com novas observações para que tenhamos uma legislação de acordo com nossas perspectivas de estudar, preservar e divulgar nossa cultura.
http://dl.dropbox.com/u/6302318/Caderno%20Direito%20Autoral%20em%20Debate%20-%20Rede%20Reforma%20LDA.pdf

domingo, 6 de junho de 2010

Lei de Direito autoral

Seminário na FGV discute a reforma da lei de direito autoral Centro de Tecnologia e Sociedade e Rede pela reforma da lei de direito autoral realizam debate no Rio de Janeiro A lei 9.610, atualmente em vigor no Brasil, foi criada em 1998 e passa agora pela primeira revisão significativa. Desde 2007 o Mistério da Cultura vem realizando debates com a ampla participação dos interessados para discutir uma proposta de reforma. Um anteprojeto de lei deverá ser submetido à consulta pública em breve. Diante desse contexto, é preciso aprofundar o conhecimento sobre a Lei de direito autoral para que seja possível avaliar quais pontos devem ser abrangidos na reforma. Evento gratuito